Problemas no projeto ou na execução?

Dificilmente se entrega uma obra exatamente como foi projetada e dentro do prazo.

Quando o desvio é considerado grande por uma das partes, que responsabiliza a outra pelos erros, surge o desentendimento e a reivindicação.

Alterações de escopo e prazo exigem uma análise econômica e financeira precisa, integrada ao conhecimento das técnicas e processos de engenharia, para a quantificação de eventuais perdas e danos e a avaliação da ocorrência de lucros cessantes.

Indica-se a contratação de um especialista que conheça as áreas da Engenharia Econômica e da Engenharia de Custos, com experiência nas técnicas orçamentárias da construção e domínio do cálculo da equação econômica do contrato (BDI).

A revisão do preço exige maiores detalhes

Temos condições de detalhar e interpretar o que aconteceu, o que está acontecendo,ou o que ainda vai acontecer NAS FINANÇAS de um contrato de empreitada de obra pública ou privada de médio ou grande porte.

Tanto sob a ótica do proprietário da obra, do gerenciador do contrato, do incorporador do empreendimento, do construtor ou empreiteiro, de um consultor ou de um juiz.

Nossa competência pode ser confirmada pela CAIXA, pelo Porto de Santos, pela DERSA e outras grandes empresas da Administração Pública, que têm nos contratado nos últimos anos.

O TCU cita nossas publicações como referência técnica em alguns dos mais importantes pontos de sua jurisprudência.

Diferencial da MBS Engenharia

A MBS Engenharia trabalha há muitos anos com a revisão de preços de contratos de empreitadas de obras públicas.

Nos primeiros 15 anos, não havia uma referência técnica para conceituar BDI, tema tratado como mito nas publicações de então,

Em 2006, escrevemos o livro "Manual de BDI", para definir as bases do equilíbrio econômico e financeiro de contratos de obras, publicação que foi citada como referência conceitual dezenas de vezes nos acórdãos do Tribunal de Contas da União (TCU).

Nosso domínio do tema nos permite defender os interesses comerciais da administração pública e das empresas construtoras, calculando sempre a justa remuneração da obra, de acordo com as condições da proposta apresentada na licitação.