Preço orçamentário do insumo

preço orçamentário de insumos

O preço orçamentário do insumo é o preço adotado pelo orçamentista no momento do orçamento da obra. Em virtude de ter sido considerado suficiente para a aquisição ou contratação do recurso na época em que o mesmo for solicitado no canteiro de obras.

O processo de adoção do preço depende da condição de reajuste do preço contratado, da expectativa de inflação e da data prevista para a compra do item. Para a hipótese de reajustamento mensal ou na consideração da inexistência de inflação, o preço cotado poderá ser definido como o preço orçamentário.

A previsão da evolução dos preços de materiais de construção durante uma obra de longo prazo desafia o orçamentista a fazer uma leitura atenta da evolução dos preços de energia, petróleo e frete, entre outros parâmetros e índices. Eventualmente, seja interessante até projetar o comportamento estratégico de um mercado composto por indústrias oligopolizadas e de grande poder mercadológico. Principalmente em contratos de empreitada com reajustamento anual, caso da maioria das obras no Brasil.

Dificilmente o orçamentista concluirá que os preços orçados não aumentarão em moeda corrente após o momento do orçamento, apesar de nem sempre ser possível reajustá-los explicitamente na proposta comercial. Principalmente no caso da execução de obras públicas.

É necessário aplicar procedimentos técnicos para que os preços de materiais de construção possam ser adotados com precisão.

A primeira ideia sobre preço de insumo é a quantidade de moeda solicitada por um fornecedor para transferir a posse de um insumo ao comprador. Em seguida aparece o conceito de preço de mercado, a quantidade de moeda que alguém que precisa vender rapidamente solicita a um comprador que realmente precisa comprar rapidamente, quantidade com a qual ambos concordam.

Além disso, como apenas uma negociação isolada não representa adequadamente a avaliação de todos os interessados que compõem um mercado, o conceito de preço de mercado evolui com a elaboração de uma pesquisa de preços, onde os preços de várias negociações são coletados e se estabelece um critério para calcular o preço de mercado, que representa a avaliação de todo o grupo para uma negociação imediata.

Assim sendo, os critérios mais comuns para calcular o preço de mercado são a média e a mediana, conceitos da estatística que geram preços que podem ser denominados de preço médio de mercado ou preço mediano de mercado.

Pode-se comprar um material abaixo ou acima do preço de mercado, em função da comparação das necessidades relativas do comprador e vendedor. Todos tentam comprar no preço mínimo, mas o preço não é o único parâmetro importante em uma aquisição. É preciso considerar também a qualidade do produto, a disponibilidade de estoque e o prazo de entrega do fornecedor.

Sabe-se que o cenário da compra é bem diferente do cenário da orçamentação. Na fase da compra, busca-se o preço mínimo para uma transação imediata. No orçamento, busca-se prover recursos para garantir a possibilidade de efetuar uma compra futura. A exceção seria o caso de executar obras pequenas e de curto prazo. Por exemplo, para substituir uma porta de madeira em uma residência na próxima semana, basta marcar um encontro com um empreiteiro de mão de obra em um depósito de materiais de construção, anotar o preço da porta e o valor pedido pelo empreiteiro e incluí-los no orçamento. O custo real da reforma tem grandes chances de ser exatamente aquilo que foi considerado no momento do orçamento..

O preço orçamentário é a expectativa do preço futuro. Ou seja, a quantidade de moeda que alguém que precisará vender rapidamente um material de construção daqui a X meses, solicita a um comprador que precisará comprar rapidamente este material daqui a X meses, preço com o qual ambos concordarão.

Existe ainda o conceito do preço atualizado, referindo-se às oscilações de preço relacionadas ao prazo de pagamento do fornecedor da construtora e o prazo de recebimento da fatura definido pelo contrato da obra. E também considerando a cobrança de juros para pagamento em 30 ou 60 dias.

Em suma, a adoção do preço do insumo tem de garantir que ele continue válido até o final da obra, ou até a realização da última compra.

Posts Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *